29 Novembro, 2021

Açúcar vs. adoçante

Conheça os seus adoçantes e escolha o melhor para si

O alimento como informação: açúcar vs. adoçante

Já há algumas décadas que a sociedade global enfrenta graves problemas de saúde, tais como a obesidade, a diabetes, problemas coronários e mais alguns.

A dieta moderna desencadeou uma verdadeira epidemia. Uma grande parte do problema são os alimentos ultraprocessados e, especialmente, a quantidade de açúcar que contêm. 

Por isso, quando apareceram os adoçantes artificiais, muitos de nós regozijámo-nos por um momento com esta criação científica inovadora, e pensámos: “Poderemos ter o prazer do doce sem o problema das calorias”. Porque se considera que uma lata de refrigerante aporta cerca de 150 calorias. A mesma lata na sua versão light ou sem açúcar aporta zero calorias. No entanto, a ilusão durou pouco porque, como sabe, a comida não são apenas calorias, GOfiter@.

Cada alimento que ingere é informação que o organismo descodifica e utiliza para o que necessita. E não é igual qualquer informação. 

Neste artigo, vamos analisar o que é o açúcar e o que são os adoçantes artificiais, para que possa escolher o que é melhor para a sua saúde na hora de se alimentar. 

É a ciência que o diz…

açúcar é, basicamente, sacarose. A sacarose forma-se por uma molécula de glicose e uma de frutose e encontra-se, em quantidades diferentes, em todas as plantas. 73% do açúcar do mundo obtém-se a partir da cana-de-açúcar e os restantes 23% a partir da beterraba100 gramas de açúcar aportam 380 calorias, o problema é que são o que se conhece como calorias vazias pois não aportam minerais, vitaminas nem sais. Isto é, o açúcar não aporta nenhum tipo de nutriente valioso para a saúde. Os alimentos industrializados podem ser compostos por até 80% de açúcar, enquanto a Organização Mundial da Saúde recomenda que o açúcar não exceda 10% das calorias diárias

Quando falamos de adoçantes, por outro lado, referimo-nos às substâncias que servem como substitutos do açúcar. A maioria é produzida artificialmente, à exceção da estévia que se obtém a partir de folhas da planta de Stevia rebaudiana e que, por isso, ganhou a fama de ser o adoçante mais saudável. 

Os adoçantes mais utilizados, além da estévia, são:

  • Por um lado, a sucralose, a sacarina, o aspartamo e o acessulfamo K. Todos eles partilham um grande poder adoçante em quantidades mínimas, pelo que são frequentemente adicionados a bebidas e pastilhas elásticas.
  • Por outro lado, o xilitol e o sorbitol, que, tal como o açúcar natural, precisam de ser adicionados em maior quantidade para se obter o efeito adoçante. São frequentemente utilizados em produtos de confeitaria.

Então, surge a grande questão: é melhor consumir açúcar ou adoçante? A resposta não é assim tão simples. 

É verdade que substituir açúcar por adoçantes pode ajudar a reduzir o consumo de calorias na alimentação e, assim, manter um peso corporal saudável ou até mesmo contribuir para a perda de peso, se for isso que se pretende. Tendo um peso saudável, reduz-se significativamente o risco de sofrer de problemas cardíacos e diabetes.

Se tiver diabetes, a escolha de adoçantes artificiais pode contribuir para manter o equilíbrio da glicose no sangue, uma vez que, não sendo hidratos de carbono, não aumentam o açúcar.  

Ao longo dos anos, tem-se questionado se os adoçantes são ou não saudáveis e se podem causar danos a longo prazo na saúde. A realidade é que, até à data, tem-se demonstrado que a maioria dos adoçantes é segura para consumo, sempre em quantidades moderadas.

Isto também se aplica ao açúcar. Consumir demasiado açúcar é verdadeiramente prejudicial para a saúde, da mesma forma que o consumo excessivo de adoçantes. Ambos em excesso podem causar problemas dentários, aumento de peso, má nutrição e um aumento dos triglicéridos, levando ao risco cardíaco, entre outras complicações. 

O segredo está na moderação

Se tiver algum problema de saúde que exija que evite açúcar ou se estiver a tentar perder peso, a substituição do açúcar por adoçantes pode ajudar muito. Preste atenção aos alimentos que são vendidos como “sem açúcar” porque não significa necessariamente “sem calorias”. 

No GO fit, promovemos um estilo de vida saudável que se alcança prestando atenção à maioria dos hábitos diários como o sono, a nutrição e a saúde. Além do debate açúcar vs. adoçante, é importante salientar que a alimentação deve ser, acima de tudo, à base de alimentos reais, tais como frutas, vegetais, legumes, sementes e proteínas de boa qualidade

É possível reeducar o paladar: se consumir demasiado açúcar ou adoçante, o seu corpo habituar-se-á e pedir-lhe-á cada vez mais doces. Demonstrou-se que as pessoas que reduzem o seu consumo de gordura e sal passam pelo que se conhece como “mudança hedónica” na qual começam a preferir alimentos com menos gordura e sal. Acredita-se que o mesmo é possível com o açúcar, embora os estudos ainda estejam em fases experimentais. Se adquirirmos gradualmente o hábito de reduzir a quantidade de doce que adiciona às suas refeições, com o tempo, necessitará de cada vez menos doces para se sentir satisfeito.

Se precisar de algo doce para começar o dia, experimente estas ideias saudáveis para o pequeno-almoço que o encherão de energia. 

A felicidade treina-se, os hábitos saudáveis também.

Viva mais e melhor, viva GO fit. 

Tags

Artigos relacionados

5 Agosto, 2022 Nutrição

6 min

Conhece a fruta noni?

Propriedades e benefícios desta fruta A fruta noni não é tão fácil de encontrar nos supermercados e hipermercados do nosso...

Ler mais