21 Julho, 2022

Dicas para evitar a ansiedade pela comida

Independentemente da sua idade, tanto crianças como adultos, são muitas as pessoas que normalmente sofrem de necessidade de comer por impulso, sem qualquer tipo de moderação ou controlo e cujas causas são, principalmente, psicológicas.

Este tipo de ansiedade define-se pela ação de comer de forma impulsiva e descontrolada, não responde a padrões e pode surgir a qualquer hora do dia, inclusivamente a meio da noite. A pessoa que sofre destes surtos não tem fome e realiza esta ação como via de escape para outros problemas. É também conhecido como fome emocional e afeta um número crescente de pessoas em Espanha, tendo efeitos no ponto emocional da pessoa.

Causas da ansiedade pela comida

Por um lado, estão os motivos emocionais como, por exemplo, a baixa autoestima ou a dificuldade para gerir as emoções. São sintomas que algumas pessoas tratam de resolver rapidamente através da ingestão descontrolada de comida. Ocorre um vazio no interior da pessoa e ela trata de o resolver com alimentos.

Por outro lado, nas causas da fome emocional, está a gestão da própria comida. As dietas muito severas geram situações estritas de autocontrolo que são complicadas de manter no tempo. O resultado pode ser contraproducente uma vez que um momento de debilidade pode desembocar num excesso de produtos que tinham sido restringidos previamente.

Ver a comida como uma fonte de bem-estar é outra das causas que se juntam à lista. A função dos alimentos é proporcionar as energias adequadas para viver, mas se o comer começa a assumir-se como uma causa de satisfação ou recompensa, podem ocorrer momentos de descontrolo. 

Como evitar a ansiedade pela comida

A melhor resposta: desporto, dieta e técnicas de controlo emocional.

As técnicas para evitar a ansiedade pela comida incluem tanto o aspeto emocional, como o físico. Relativamente a este último ponto, é muito importante o descanso e isto traduz-se em dormir as horas necessárias e em boas condições. Um bom descanso gera bem-estar e previne os transtornos alimentares.

A prática habitual de exercício físico também reduz esta ansiedade, uma vez que pressupõe a descontração da tensão acumulada e o recurso à comida como solução para o stress desaparece. 

Os desportos de longa duração ajudam neste objetivo, dado que destinar mais horas à prática de atividade desportiva pressupõe menos tempo para pensar na comida de forma compulsiva. Treinar na sala, uma aula de bike ou desportos de equipa como, por exemplo, o clube de nadadores do GO fit, que fomentam a socialização, podem ser grandes aliados para trabalhar este tipo de ansiedade.

                                                      
A dieta também desempenha um papel importante nesta situação, dado que determinados alimentos podem contribuir para aliviar essa sensação de comer de forma impulsiva. Se comeu há pouco tempo e sente fome, beber água ou infusões, que além do mais são saciantes, podem servir de grande ajuda para diferenciar a fome real da emocional.

A ingestão de proteínas e fibra, consumir menos açúcar ou tratar de comer lentamente são algumas das ações que também ajudarão a minimizar a necessidade de comer por impulso. Também influenciará o facto de seguir uma dieta equilibrada e que inclua todos os alimentos da conhecida pirâmide alimentar. Para tal, o nosso artigo Plano de refeições semanal para principiantes, pode servir-lhe de guia.

Como é evidente, as emoções pessoais têm uma grande repercussão nessa ansiedade em comer e serão chave para a conseguir evitar. Realizar técnicas de descontração como, por exemplo, meditação ou ioga, contraria a tensão e evitam os impulsos; tal como uma mudança na perceção das emoções negativas. Estas ações são muito positivas para todos os aspetos psicológicos do corpo humano.

Artigos relacionados

5 Agosto, 2022 Nutrição

6 min

Conhece a fruta noni?

Propriedades e benefícios desta fruta A fruta noni não é tão fácil de encontrar nos supermercados e hipermercados do nosso...

Ler mais